sábado, 18 de dezembro de 2010

Quando bate o desespero

Menu

Mensagens

Criar mensagem

"Quero um abraço."


Enviar

Enviar para

"Você."


Mensagem enviada com sucesso

Mais uma vez

Mais uma vez transformo em versos meu desespero,
minha fuga para um bom lugar,
palavras que se formam para dar sentido à minha loucura.

Mais uma vez, Senhor, preciso pedir bem mais do que eu mereço.
E o que fazer, se minha razão diz que não posso,
e eu não esqueço dos meus erros?
Tantos votos e promessas vãs,
palavras sem propósito,
e que agora me cobram o sentido que deveriam dar,
fazem meu coração se fechar, mas não me impedem de confiar
e, mais uma vez, clamar o Teu nome.

Eu não tenho méritos, nem vitórias,
nada do que tenho ou sei é meu.
Desde sempre, tudo o que tenho é Teu.
Como tomar de Ti o pouco que posso Te ofertar?

Mais uma vez, me encontro em um 'final',
pagando por minhas faltas.
Sei que mereço as possíveis lágrimas,
mas talvez Tu chores ao meu lado,
permitindo-me a dor como forma de ensinar.
E isso me basta. Sim, isso me salva.

Perdoa se eu não souber continuar o plano
que iniciaste em minha vida.
Perdoa por não saber viver o sentido
de perseverar,
e por, de todas as coisas, só saber esperar
e confiar infinitamente em Tua

MISERICÓRDIA.


Amém.

sábado, 12 de junho de 2010

Ao meu amado...





Primeiramente, qual seria a razão pra alguém invadir o blog do namorado? Não é algo muito comum, eu sei, a não ser que hoje seja o dia dos namorados e eu não tenha encontrado maneira mais criativa de me expressar... É, acho que sim.
Bom, como muitas vezes eu já disse: não dá pra falar do meu namoro sem falar de Deus, fato. Por isso, não vejo outra saída a não ser começar expressando aquilo que eu costumo expressar no final: Gratidão.

Gratidão a Deus, por cada gesto de amor que Ele me trouxe através do meu namorado, desde um simples olhar apaixonado até um longo abraço apertado.
E gratidão a ele: Meu lindo amor, por ver em mim uma beleza que ninguém enxerga, por estar sempre a minha disposição, sempre sorrindo, sempre me trazendo o melhor que ele pode dar, quer eu mereça ou não, e principalmente, por me encher daquilo que há de melhor e mais precioso no mundo: O amor de Deus.
É... Não é em qualquer esquina que se encontra alguém assim, que se preocupa tanto em te fazer feliz.

Um ano e quase seis meses de namoro e eu até hoje não consigo agradecer de forma completa aquilo que meu coração sente, tanto que mais um texto vai chegando ao fim e minhas palavras se tornam tão pequenas perto daquilo que nós construímos juntos: Uma história de amor.

São tantos momentos... Uns mais marcantes, outros que passam despercebidos, mas todos cobertos de algo que nos completa, algo vindo do céu. Existem ainda outros momentos: aqueles que ainda moram no coração, nos sonhos, na vontade de Deus, e são esses que eu mais quero viver ao lado daquele que eu posso olhar e enxergar Deus, aquele ao qual eu hoje escolho amar, aquele ao qual eu tenho orgulho de chamar de MEU NAMORADO.
Eu te amo. Feliz nosso dia!
Jéssica

domingo, 9 de maio de 2010

Obrigado


Deus sabe que eu nada seria sem você.

Pois assim como Seu filho, nosso Senhor Jesus Cristo, precisou dos cuidados de uma MÃE, Ele quis que eu precisasse de uma MÃE que me ensinasse a andar em direção ao Seu coração.

Obrigado por tudo. Obrigado por ser o meu conceito de Melhor Mãe do Mundo.

Que Nossa Senhora seja sempre o seu exemplo, para que você seja meu exemplo de Amor a Deus.

Deus te Abençoe.

Eu te amo.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Wake up

"Relax, open your eyes."

Hoje talvez eu precisasse ouvir essa frase vinda do meu despertador.

Mais uma vez me deparo com situações que me provam o quanto ainda sou incapaz de administrar da melhor maneira as responsabilidades que o mundo me impõe. Me surpreendo com o quanto ainda sou frágil ao enfrentar inúmeros desafios ao mesmo tempo. Misturo sonho, realidade e necessidades, não consigo discernir reais motivações.

Minhas vontades, planos, obrigações e necessidades me puxam para lados diferentes, porém com igual intensidade. O resultado, zero. Permaneço parado no mesmo lugar. Sem progressos, sem melhoras. Apenas o mesmo.

Sinto que minhas motivações algumas vezes são baseadas em sonhos, que me fazem correr para algo que não é real. Perco tempo preso em teias de pensamentos e planos incompletos que me causam um momentâneo torpor. Perco dias numa estrada até perceber que o caminho era por outra. E no meio disso tudo, pergunto a mim mesmo quando vou aprender, quando vou acordar e abrir os olhos para o que o mundo exige de mim.

Hoje é um exemplo perfeito.

As coisas que já deveria ter feito ocupam o lugar das que preciso fazer agora. Diante da falta de tempo e espaço, encontro lugar pra me perguntar o porque de não ter agido antes. Como se adiantasse alguma coisa. Apesar da bagunça que eu mesmo faço, e que nem mesmo eu consigo entender, uma coisa é perfeitamente clara: Preciso mudar. O mundo exige, o mundo engole. E não espera que você recolha o que caiu pelo caminho. Certo, minha fé é real, e eu creio que existe algo muito maior do que o mundo pode oferecer, e essa fé que me sustenta... Mas, por enquanto, ainda vivo aqui, estou inserido aqui, e não posso fingir que o mundo não existe. É preciso crescer. Decidir-se. Lutar pelo que se quer.

Essas coisas, quando lidas ou escritas, nos dão aquela força que nos faz achar que é fácil crescer na vida. Fogo de palha. Na real, o jogo é complicado. Traiçoeiro. É você por você. E Deus. Só basta lembrar que Ele não deu o vinho necessário como mágica... Foi preciso que alguém Lhe trouxesse a água.

Escrevo, e minha única pretensão é organizar as idéias em minha mente. Dar ao meu cérebro tempo para definir prioridades e metas a serem seguidas. Colocar diante de mim, de forma clara, o que preciso aprender e fazer, pois os primeiros olhos que lêem são os meus.




"Relax, open your eyes."

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Tijolos

Olhou-me e com estranha facilidade pediu-me que lhe construísse um castelo. Pediu de modo simples, como quem pede algo pequeno.
Olhei-o de volta, e, sem considerar tal possibilidade, neguei-lhe o favor.
Silêncio em resposta.
Achando que talvez não tivesse sido claro o suficiente, fui listando os motivos mais óbvios que me levavam a negar o pedido: As paredes precisavam ser resistentes, as torres, muito altas. Precisava-se contar com o trabalho de um excelente engenheiro, para projetar seus saguões, escadarias, corredores e quartos. Precisava impressionar com sua beleza e grandiosidade. Sem falar em todo o alicerce que também precisava ser feito... E eu era apenas um. Não. Definitivamente, não.
Seu olhar permanecia em mim, desta vez acompanhado de um sorriso. Com igual suavidade, disse-me: "Vamos?"
Não havia espaço para ponderações. De modo educado, respondi "Vamos".
Fui conduzido alguns metros adiante, quando me vi diante de um galpão. Alguns homens trabalhavam em algo que não consegui identificar o que era. Dentro de mim, mil perguntas e questionamentos iam e voltavam sem parar. Um turbilhão de pensamentos geravam medo, insegurança e um insuportável barulho em minha mente.
Parou diante de alguns materiais de construção e disse-me: "Silêncio".
E pediu que eu pegasse apenas um tijolo.